Jorge Montez

Jorge Montez

Nasceu e fez-se jornalista em Lisboa, mas quando o século ainda era outro decidiu mudar-se de armas e bagagens para Viana do Castelo. É repórter. Viveu três meses em Sarajevo quando os Balcãs estavam a aprender os primeiros passos da paz, ouviu o som mais íntimo da terra na erupção da Ilha do Fogo e passou cerca de um ano pelos caminhos do Oriente.
ilha do Corvo

O Caldeirão do Corvo

Esta é a mais pequena de todas as ilhas dos Açores. Com apenas 6,2 quilómetros de comprimento por 3,9 de largura máxima, a ilha do Corvo é toda ela o vulcão que a formou e o seu caldeirão.

Entroncamento

O Entroncamento e a ferrovia

A história do Entroncamento está intimamente ligada ao caminho de ferro. Em 1864 foi aqui que se fez a junção entre as linhas do Norte e do Leste e nasceu o Entroncamento ferroviário e o nó que deu nome à terra, lhe trouxe população e lhe definiu o destino durante todo o século XX.

Casas de brasileiros em Fafe

Em Fafe com os brasileiros do torna viagem

Podendo-se, o Vidago Palace Hotel é escolha a considerar. Não se podendo, não se deixe de lá ir e passear pelo imenso parque centenário, com as suas alamedas, trilhos e espelhos de água. Em Chaves, com a fronteira espanhola mesmo ali ao lado, usufrua-se do rio Tâmega e da natureza transbordante das suas margens e atravesse-se o rio pela ponte romana do Trajano.

Turismo empresarial em Felgueiras

Turismo empresarial em Felgueiras

De Felgueiras sai mais de 50 por cento da exportação nacional de calçado, cerca de um terço da produção total de vinho verde e a maior venda de kiwi para o estrangeiro. Que tem isto a haver com turismo? Tudo. A rota do turismo empresarial criada no concelho permite-nos conhecer as fábricas, oficinas e quintas que criam riqueza no território.

Dornes Ferreira do Zêzere

A torre templária de Dornes

Em Dornes, a torre que é hoje sineira foi construída como atalaia, uma das primeiras, pela Ordem dos Templários. De lá se observa o rio Zêzere que corre por aqui como um lago azul. Está bem à vista o porquê de os monges cavaleiros terem escolhido este local, onde se ergue ainda a bela Igreja de Nossa Senhora do Pranto.

Siga-nos no Facebook