Alentejo, Alentejo Central, Redondo, Vinhos e Gastronomia

Enoturista na Casa Agrícola Alexandre Relvas

O edifício revestido a cortiça cativa à primeira vista. Lá dentro fazem-se vinhos premiados. Fomos enoturistas na Casa Agrícola Alexandre Relvas.

Vestimos a bata branca e entramos na adega ao nível do solo. A cortiça que isola todo o edifício torna o ambiente agradável, mesmo em dia de muito calor. Há que ter cuidado, que aqui faz-se o néctar dos deuses. À nossa frente, alinham-se filas de grandes cubas de alumínio com o vinho em diferentes estágios de produção. Conhecer uma adega não é apenas para os apreciadores de vinhos. Bem-vindos à Casa Agrícola Alexandre Relvas.

Vamos colocar um ponto prévio. O jornalista gosta de vinho, mas não é um entendido, e só há relativamente pouco tempo começou a perceber que castas são bem mais do que uma estratificação social indiana. O jornalista é um leigo e a visita à adega da Herdade da Pimenta é feita com o olhar virgem e curioso. Como o de muitos que desde este verão de 2016 rumam ao limite do concelho de Redondo para uma experiência nova.

Adega da Herdade da Pimenta
O vinho estagia em barricas de carvalho francês

Este é um local de trabalho onde as visitas são bem-vindas. O programa de enoturismo da Casa Alexandre Relvas leva-nos numa viagem pelo processo de fabricação do vinho. Ficamos a conhecer os solos e as caraterísticas que conferem ao produto final, as castas utilizadas na produção das várias marcas da casa. E é já na adega que aprendemos como se fazem os brancos e os tintos e qual é a diferença que permite o rosé.

A visita pelos meandros da adega demora o tempo necessário para que quem a faça saia satisfeito com a experiência. Joana Queiroz é o cicerone e leva os visitantes pelo espaço, conduzindo-os por todo o processo, explicando-o e respondendo a todas as perguntas. Não é incomum que o próprio enólogo da Casa Agrícola Alexandre Relvas apareça e com ele se troquem duas de conversa. No nosso caso, Nuno Franco deu a provar e falou sobre os vários estágios do mosto, enriquecendo a experiência.

Já ao nível do subsolo mas sempre com luz natural, e num ambiente de temperatura controlada, estão as barricas e os tonéis em que muitos dos vinhos produzidos nas herdades da casa estagiam. Alinham-se em vários níveis, a maioria de carvalho francês para que o vinho ganhe os sabores pretendidos,

A visita termina onde começou. No átrio de entrada da adega provam-se os vinhos, descobrem-se os sabores e aromas que os compõem e fica-se a saber mais sobre eles e sobre a Casa Agrícola Alexandre Relvas.

As visitas podem ser feitas a qualquer dia, sendo que ao fim-de-semana é necessária uma marcação com um mínimo de três horas de antecedência, e podem ser agendadas em qualquer posto de turismo da região. Na época das vindimas são feitos programas especiais para os visitantes.

As ovelhas permitem o controlo natural de infestantes e a fertilização dos solos
Ovelhas merino na vinha

Alexandre Relvas: um projeto sustentável

O projeto da Casa Agrícola Alexandre Relvas é recente e começou com a Herdade de São Miguel, adquirida em 1997. Em 2003 foi aqui construída a primeira adega e já em 2011 os produtores compraram a Herdade da Pimenta, onde foi edificada a moderna adega que visitámos.

Este é um projeto eco-sustentável. Nas herdades, durante o inverno pastam rebanhos de ovelhas merino que permitem reduzir a utilização de herbicida para o controlo de infestantes. A presença dos rebanhos nas vinhas permite ainda a fertilização natural dos solos.

E nas três herdades propriedade da casa agrícola foram já reflorestados 730 hectares de árvores. Desde 2006 foram plantadas mais de 120 mil árvores, sobreiros na sua grande maioria. O montado de sobreiro é um habitat natural para mais de 40 espécies de aves e mamíferos.

Vinhos premiados

Herdade de São Miguel - colheita selecionada
Vinho premiado

A Casa Agrícola Alexandre Relvas aposta na produção de vinhos com uma excelente relação qualidade-preço e o caminho que traçaram tem tido frutos. Com cerca de cinco milhões de litros/ano, os vinhos do produtor têm-se distinguido em certames nacionais e internacionais.

Já em 2016, o Herdade de São Miguel Colheita Selecionada ganhou a medalha de ouro no Citadelles du Vin, em França, com o branco e rosé, e no Sélections Mondiales des Vins, no Canadá, com o tinto, que arrecadou ainda medalhas de prata no Concurso Mundial de Bruxelas e no Concurso Vinhos de Portugal; e a medalha de bronze no Decanter World Wine Awards.

Premiados foram ainda, e por diversas vezes, o Ciconia e o Montinho de São Miguel. Também os Monte dos Amigos e Segredos de São Miguel já mereceram galardões em concursos internacionais, bem como os Herdade da Pimenta e Herdade da Pimenta Grande Escolha, o Art.Terra e os vinhos monocasta  Alicante Bouschet, Trincadeira, Alfrocheiro e Touriga Franca.

A Casa Agrícola Alexandre Relvas produz os seus vinhos tintos principalmente a partir das castas Alfrocheiro, Alicante Bouschet, Aragonez, Cabernet Sauvignon, Castelão, Syrah, Touriga Franca, Touriga Nacional, Moreto e Trincadeira. Os brancos são feitos com as castas Antão Vaz, Arinto, Encruzado, Fernão Pires,  Sauvignon Blanc, Verdelho e Viognier.

Jorge Montez
Nasceu e fez-se jornalista em Lisboa, mas quando o século ainda era outro decidiu mudar-se de armas e bagagens para Viana do Castelo. É repórter. Viveu três meses em Sarajevo quando os Balcãs estavam a aprender os primeiros passos da paz, ouviu o som mais íntimo da terra na erupção da Ilha do Fogo e passou cerca de um ano pelos caminhos do Oriente.