Alentejo, Alto Alentejo, Avis

Das águas do Maranhão à Ordem de Avis

A albufeira do Maranhão é destino obrigatório para atletas e pescadores, mas com o Clube Náutico, o parque de campismo e praia fluvial, é ponto de encontro de todos quantos a Avis acorrem.

Nesta terra de planícies, a vila de Avis vislumbra-se ao longe com os panos do antigo castelo a imporem-se na paisagem. Estamos a 201 metros de altitude e daqui a vista perde-se por entre olivais e sobrados, com as águas azuis da albufeira a cortarem a doce monotonia da paisagem.

Só o nome desta vila no extremo sul do distrito de Portalegre é de si um avivar de memórias. Esta foi a sede de uma das principais ordens militares portuguesas, a ordem de São Bento de Avis, que ganhou o nome em 1211 quando os Freires de Évora viram ser-lhes entregue a povoação. Foi mestre desta Ordem D. João, filho bastardo de D. Pedro I, que seria coroado rei pelas Cortes de Coimbra como D. João I e começando assim a dinastia de Avis.

Em Avis, no cimo do monte tornado vila, está o Convento de São Bento de Avis. Em terra de casas alvas, o edifício destaca-se na paisagem por um dos panos da muralha cor de pedra. Mas é ao seu interior que queremos ir para conhecer o Centro Interpretativo da Ordem de Avis e o Museu do Campo Alentejano.

Boa ideia será também passarmos pelo Posto de Turismo e marcarmos uma visita guiada ao centro histórico, com passagem pela Cisterna Municipal e pela Torre da Rainha.

Se estiver na hora do almoço e não for uma segunda-feira, propomos que os passos nos levem até ao Alcórrego e à tasca do Montinho para nos deliciarmos com a boa gastronomia alentejana.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Siga-nos no Facebook