Castanheira de Pêra, Centro, Região de Coimbra, Reportagem

Praia das Rocas: ondas e animação em Castanheira de Pera

Há no centro do país uma praia que tem ondas e muita animação. Mesmo no coração de Castanheira de Pera, a Praia das Rocas é a maior piscina do país e destino de muitos nos meses quentes.




A sirene apita três vezes, sem ser estridente, e começa a ver-se um movimento inusitado de pessoas. Há uma pausa e de novo a sirene repetida. A água começa a encher-se, os nadadores-salvadores põem-se a postos e começa-se a ouvir o som surdo dos motores. Ao terceiro toque, as águas até então calmas começam a agitar-se e as ondas surgem como que do nada, para gáudio dos muitos veraneantes.

A Praia das Rocas é um local muito agradável
A ilha e as palmeiras

Os mais afoitos foram piscina dentro, para a zona onde a ondulação mais se faz sentir. Os outros espalham-se pela água e mesmo os mais pequenos pulam e correm como se estivessem numa praia. Durante 10 minutos, a cena repete-se de hora a hora na Praia das Rocas.

A nossa visita foi posterior ao incêndio de 17 de junho. Com esta série de reportagens, mos-tramos que continua a ser possível ter boas experiências na zona afetada. Fazer turismo também pode ser uma forma de solidariedade

As ondas a 80 quilómetros do mar, como reza o slogan, são a principal atração, mas não a única, deste equipamento de excelência que conquistou definitivamente muitos. O bilhete de entrada dá para o dia inteiro, podendo-se mesmo sair do recinto e regressar. Só em 2016, revela José Pais, administrador-executivo da Prazilândia (a empresa municipal que gere o complexo), a Praia das Rocas teve um total de 120 mil entradas, tendo-se tornado um dos mais bem sucedidos equipamentos de recreio fora dos grandes centro urbanos.

Um belo espelho de água
Ribeira da Pera

E ao chegarmos a razão está à vista. Em plena vila de Castanheira de Pera, a Praia das Rocas está situada nas margens da Ribeira de Pera, que mais adiante se encontra com o Zêzere, num lago com quase um quilómetro de extensão. A piscina propriamente dita, com as suas duas zonas distintas, tem 2100 metros quadrados, o que a torna a maior do país. Por isso, há espaço para todos e não temos que pedir licença para pôr a toalha nesta praia que até parece ter areia.

As piscinas têm formas irregulares para melhor não parecerem o que são. No meio de um dos lagos há uma ilha com palmeiras e gente que aproveita a sombra ou se refresca dentro da água. Na zona mais estreita, há aulas de hidroginástica várias vezes por dia.

Praia das Rocas
Uma praia para todos

E várias vezes por dia, também, há araras, mochos e cobras que passeiam pela mão dos tratadores para entretenimento dos mais pequenos e a foto da praxe que os pais não conseguem recusar. Os mais radicais podem experimentar a parede de escalada e não são poucas as vezes que se vê alguém a fazer rappel entre as margens do rio. No lago que a Ribeira de Pera aqui forma há também canoas e gaivotas para pequenos passeios e outras atividades que se desenrolam fora do recinto e são acompanhadas por monitores.

Mas dentro da Praia das Rocas é possível fazer tiro ao alvo com arco, zarabatana ou fisga; fazer percursos de orientação em canoa, fazer jogos tradicionais ou mesmo brincar em inufláveis, que ali existem tanto para crianças como para adultos.

Um paraíso para muitos
No coração de Castanheira de Pera

Há, como se vê, muito que fazer para adultos e crianças. E mesmo nos dias em que no litoral as nuvens tapam o sol, o mais provável é que em Castanheira de Pera esteja calor, com as serras e os profundos vales a protegerem a sua e a possibilitarem belos dias de praia no centro do país. Uma das formas de saber como está o tempo é ver na net através da beachcam que está instalada no recinto e transmite em direto.

Como em qualquer praia que se preze, também aqui há um bar-restaurante que tem uma seleção de menús e pratos do dia e uma esplanada com vista privilegiada sobre o recinto. E aqui, ao final da manhã, o burburinho dos veraneantes junto à água sobe até à mesa e torna o café muito mais agradável.

A praia está aberta todos os dias entre o princípio de junho e o final de setembro. No primeiro e no último mês abre portas às 10 horas e fecha às 19.00. Em julho e agosto o horário é entre as 9.30 e as 19.30. O bilhete de um dia custa no máximo 8€ aos fins-de-semana, ou 11,5€ com atividades, sendo que o preçário pode ser consultado aqui.

Dentro do complexo, há seis bungalows com um total de 12 quartos duplos. O alojamento tem incluída a entrada na praia entre os meses de julho e setembro. Na época baixa, o preço incluí pequeno-almoço e dá acesso ao ginásio, ao biocaching, Strider Bikes para crianças, tiro com arco e mini-trampolim.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *