Machico, Madeira

As praias de muitas cores de Machico

Gonçalves Zarco e Tristão Vaz Teixeira foram os primeiros a conhecer as terras de Machico, porque foi aqui que marcaram as suas pegadas no solo virgem da ilha. Os dois foram os primeiros, juntamente com todos os outros que com eles fizeram a viagem, mas desses não se lembra a História.

Mesmo que os navegadores tivessem boa memória, hoje dificilmente reconheceriam mais do que o recorte da costa. A cidade de Machico espraia-se até à baia do mesmo nome, com a praia da Banda Além de areia amarela que aqui chegou importada de Marrocos. Dali se veem os aviões que se fazem à pista do Aeroporto Internacional da Madeira, que se avista do Pico de Facho, um miradouro de onde se tem uma visão dos picos centrais da ilha à Ponta de São Lourenço.

As areias amarelas da Banda Além vêm de outras paragens, mas é neste concelho que encontramos ainda as areias negras da Praínha, no Caniçal, e aquela que é tida pela melhor praia de areia preta de todo o norte da ilha, a da Alagoa do Porto da Cruz.

Porto da Cruz, aliás, é motivo de visita não apenas pela excelência da sua praia. As montanhas que envolvem a vila emprestam dramatismo à sua beleza e é aqui que se encontra a emblemática Penha d’Águia, o rochedo à beira-mar com 590 metros de altura em forma de pirâmide truncada, a que se pode subir pela vereda que se encontra no sítio da Cruz.

Para os amantes da modalidade, em Santo António da Serra está aquele que muitos consideram como um dos mais espetaculares campos de golfe de toda a Europa, o Club de Golf Santo Serra, com 27 buracos e incríveis vistas para a serra e mar.

Jorge Montez
Nasceu e fez-se jornalista em Lisboa, mas quando o século ainda era outro decidiu mudar-se de armas e bagagens para Viana do Castelo. É repórter. Viveu três meses em Sarajevo quando os Balcãs estavam a aprender os primeiros passos da paz, ouviu o som mais íntimo da terra na erupção da Ilha do Fogo e passou cerca de um ano pelos caminhos do Oriente.