Belver, Gavião

Belver e o Tejo

Varanda do Tejo lhe chamam agora, mas foi para ser sentinela do rio que foi construído. O castelo de Belver olhou outrora para o rio desafiante e hoje apenas com ternura. Primeiro dos castelos que os Hospitalários construíram em território português, a fortificação e a sua relação com o Tejo é o traço mais marcante de Gavião.

©Fluviário de Mora

O fluviário e muito mais

Em Mora há o fluviário que foi distinguido, em 2008, como museu português do ano. Aqui, da nascente à foz, temos a fauna e flora dos rios portugueses, as lontras que fazem a alegria de todos e os répteis da Amazónia, com as suas cores vivas e traiçoeiras. Mas em Mora há muito mais para ver.

©Guy MOLL

A diversidade do maior concelho do país

Com os seus 1720 quilómetros quadrados, Odemira é o maior concelho do país no que à área diz respeito e paisagens várias. Da charneca litoral à planície e ao barrocal, de tudo um pouco se encontra neste território que desagua numa das mais bem preservadas costas europeias.

©Les Meloures

Aqui há Água Todo o Ano

Não é por acaso que por aqui há um lugar que se chama Água Todo o Ano. A travessia da ribeira caudalosa deu-lhe o nome e a vontade do homem de potenciar a natureza traçou-lhe o destino. Fala-se aqui de Ponte de Sor, da sua ribeira e do lago formado pela barragem de Montargil.

Siga-nos no Facebook