Alentejo, Lezíria do Tejo, Salvaterra de Magos

A aldeia avieira de Escaroupim

Alves Redol chamou-lhes os nómadas do rio. Os pescadores que vinham da praia de Vieira de Leiria, na Marinha Grande, procurar o sustento invernal ao Tejo foram ficando, criando raízes e uma cultura própria. A aldeia de Escaroupim, em Salvaterra de Magos, é o exemplo de uma povoação avieira e um dos segredos bem guardados que urge descobrir.

Em Escaroupim as casas de madeira são assentes em estacaria para resistirem às cheias do Tejo e pintadas de cores garridas. Os tons festivos estendem-se também aos barcos ancorados no cais palafítico, que há que enganar a dureza da vida emprestando-lhe um sorriso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Siga-nos no Facebook