Grande Lisboa, Lisboa, Turismo

Skyna Hotel Lisboa: uma varanda sobre a cidade

Os cinco quartos masters são a cereja no topo do Skyna Hotel Lisboa, o quatro estrelas situado entre o Parque Eduardo VII e as Amoreiras, com enormes varandas de onde se vê Lisboa até ao rio. Nos quartos, as zonas de lazer, dormir e trabalhar estão bem delimitadas e o hotel oferece uma estadia calma e um serviço atencioso, num ambiente com charme e requinte.

Chegámos já tarde ao 112 da Rua Artilharia 1 e como não encontrávamos a garagem parámos quase à porta e perguntámos. De imediato o funcionário da receção chamou um colega, disponibilizando-se para retirarem as malas e irem estacionar o carro na garagem, ali perto mas não contígua ao hotel. Soube mesmo bem no fim de um longo dia de trabalho.

Skyna Hotel Lisboa
Quarto standart

No quarto, espaçoso, com a temperatura correta e tudo impecável, foi impossível não ir logo abrir a enorme janela, que ocupa toda uma ‘parede’, e percorrer a varanda que circunda metade do edifício e nos mostra Lisboa no seu esplendor numa vista quase de 360°.

Já era tarde para irmos espreitar o Lounge Bar Vicious no 6º andar (aberto apenas no verão), que serve refeições ligeiras e também tem uma esplêndida vista sobre Lisboa, mas a visita ficou prometida para o dia seguinte. Promessa cumprida já depois do almoço (já lá vamos…) e garantimos que o espaço vale mesmo a pena para um copo ao fim da tarde ou um – já famoso – hambúrguer artesanal.

uma vista quase 360º
avista-se do aqueduto das Águas Livres ao Tejo

O Bwana Bar, localizado junto à receção e com vista para o exterior, é perfeito para uma conversa informal, uma breve reunião de trabalho ou, como nós fizemos, para relaxar após um passeio pelo Parque Eduardo VII, logo ali ao lado. Isto depois de um fantástico pequeno-almoço buffet, muito completo.

Skyna Hotel aposta em buffet de almoço

buffet do Skyna Hotel
Há Lisboa à prova no buffet

Depois do passeio e do relax, ainda no bar conversámos um pouco com a sales manager do hotel enquanto esperávamos pela hora de almoço. Patrícia Moura diz-nos que “o Skyna Hotel Lisboa pretende proporcionar aos hóspedes e clientes um atendimento personalizado e uma experiência única”, acrescentando que “o cliente do restaurante é principalmente nacional, enquanto nos hóspedes já se destacam também franceses, brasileiros e espanhóis”.

Sobre o Menu Buffet de almoço, lançado em outubro no UQ Restaurante, a responsável afirma que “tem sido um sucesso, principalmente o Cozido à Portuguesa”, salientando que “o objetivo é atrair as muitas pessoas que trabalham na zona e têm apenas uma hora para almoço”. Este menu, no valor de 12€, é composto por um prato diário (com três opções mais o prato ‘Lisboa à Prova’), Buffet de Frios com saladas diversas, sopa e entradas e um Buffet de Sobremesas, com frutas e doces, confecionados no restaurante do hotel. O menu inclui também água ou um copo de vinho e um café para terminar a refeição.

No nosso almoço, depois de entradas variadas, apostámos na escolha do ‘Lisboa à Prova’ – oferta diária de um prato tipicamente lisboeta –, que naquele dia era “Pataniscas de Bacalhau com Arroz de Feijão”, enquanto outra das convidadas escolheu o “Risotto de Cogumelos”, da opção ‘à carta’, de onde constam também pratos de carne e peixe, massa e diversas saladas. Para a sobremesa, perante o diverso buffet, o difícil é não cair na tentação de comer ‘um bocadinho de cada’.

Ao almoço o estacionamento é oferta do hotel, durante o período da refeição. O UQ restaurante está aberto todos os dias, das 12h30 às 15h00.

O Skyna Hotel Lisboa
Os dois edifícios do hotel

O Skyna Hotel Lisboa resulta da renovação de dois edifícios (cujo desnível se nota bem ao sair do elevador de acesso ao Lounge Bar Vicious) e abriu portas em março de 2015. O hotel pertence ao grupo Socinger que inaugurou o Skyna Hotel Luanda em 2009 e é o primeiro hotel da cadeia fora de Angola. Tem 105 quartos, dos quais sete suites com 50m2 cada e cinco masters com 23m2 com varandas privativas e vista sobre a cidade. Tem ainda 88 quartos standard e 5 superiores.

Os quartos têm Internet de banda larga wireless gratuita, telefone com acesso direto ao exterior, TV por cabo, televisor, mini bar, cofre pessoal e casa de banho equipada com secador de cabelo. Os hóspedes têm também acesso a room service, entre as 07h00 e as 23h00, e podem pedir berços e camas extra.

O hotel dispõe também de um pequeno ginásio com várias máquinas de treino e salas de reuniões, conferências e eventos.

Jornalista há 25 anos, Emília Freire colaborou com vários meios de comunicação (como o Diário Económico e a TSF), quase sempre na área económica. Mas foi quando editou a revista da Fundação Alentejo Terra-Mãe que ficou com o 'bichinho' de escrever sobre agricultura, vinhos e gastronomia. Assim, mais recentemente focou-se nestas áreas, principalmente os vinhos, em revistas profissionais (Vida Rural, Enovitis/Oleavitis e Distribuição Hoje).