Alto Minho, Arcos de Valdevez, Lendas, Melgaço, Norte

A lenda da Senhora da Peneda e do lagarto de Lamas de Mouro

Um dos mais belos santuários de Portugal situa-se no concelho de Arcos de Valdevez, no magnífico Parque Nacional da Peneda-Gerês. É o da Senhora da Peneda.




Conta uma antiga lenda que uma imagem desta senhora terá sido deixada naqueles rochedos por uns cristãos que fugiam aos mouros no século VIII.

No século XIII, a Senhora revelou-se por duas vezes a uma pastorinha que aí andava com o seu rebanho. De início, tomou a forma de uma pomba (dizem que foi a 5 de Agosto de 1220) e solicitou-lhe que fosse construído no local da aparição um santuário em sua honra. A menina correu a dar a notícia, mas ninguém a acreditou. Uns dias depois, a Santa apareceu-lhe novamente no mesmo ponto e já com a forma que hoje se venera. Pediu então à petiza que fosse a Roussas e que lhe trouxessem uma mulher daí chamada Domingas Gregório, que se encontrava entrevada há muito. Os habitantes deste lugar transportaram logo a pobre doente, que, na presença da Senhora, se curou imediatamente. Aí começou o culto e terá sido construída uma pequena ermida.

Entre os finais do Séc. XVIII e meados do Séc. XIX foi construído o atual templo em sua honra, num local de grande beleza. Muitos são, ainda hoje, os peregrinos que aí acorrem por devoção e cresce o número de turistas que o vistam com admiração.

Ora, num dos caminhos dos crentes, perto da chã de Lamas de Mouro, existiu, em tempos idos, um grande lagarto que se alimentava de tudo o que por ali passava, homens e animais. O apetite do réptil era insaciável. Era o Terror do sítio. E andava sempre saciado, visto que nesta zona de montes e vales alcantilados, não havia muitas alternativas para os peregrinos que se dirigiam ao local de devoção.

Um dia, na sua procura de alimento, deparou-se com uma mulher que passava no caminho. Era uma fiadeira que vivia na área da Meadinha, conhecida por se sentar ao sol, fiando entre rocas e meadas.

O monstro lançou-se contra a mulher. Esta, aterrada e encurralada, pegou no que tinha para se defender.

Agarrou na roca que levava à cinta e golpeou desesperada e vigorosamente o réptil comilão que, instantaneamente, ali se transformou em pedra.

E logo o povo declarou ser Nossa Senhora a autora da proeza.

A pedra lá está, com forma de réptil, no lugar a que hoje se chama Portela do Lagarto, no concelho de Melgaço.

E, coincidência ou não, o grande penhasco que se ergue por detrás do Santuário de Nossa Senhora da Peneda chama-se Fraga da Meadinha.