Centro, Lendas, Ria de Aveiro, Sever do Vouga

A lenda das Pedras Mouras – Senhorinha, Sever do Vouga

Onde se conta a lenda de Sever do Vouga e de como a curiosidade, paciência e uma plantinha podem desfazer um feitiço lançado para a eternidade.
Ilustração de Marta Figueiroa |Catrela
Ilustração de Marta Figueiroa |Catrela

Andava no lugar de Senhorinha, Sever do Vouga, um jovem com a intenção de apanhar pinhas. Estando já farto da jorna, subiu a uma árvore de onde se avistava uma grande área.

E eis que no silêncio das árvores e matos, avista qualquer coisa desconhecida, que lhe causou grande estranheza.

É que vinha vindo, monte acima, um homem que carregava às cavalitas uma mulher que, pelo aspecto, parecia moura.

Chegado a certo local, bem perto da árvore onde se encontrava escondido o mancebo, o desconhecido coloca a mulher em cima de uns penedos, entre suores e resmungos silenciosos e diz-lhe:

– Pois aqui hás-de ficar, ó moura, até que nasçam, cresçam e produzam semente as beldroegas!

E de imediato, a moura se transforma em pedra e o homem segue caminho, afastando-se.

Desce o curioso do pinheiro, aproxima-se da fraga e verifica que não havia sinal do acontecido. Na sua cabeça ressoava a frase do estranho, quase como prova da veracidade do caso. É que ele nada sabia dessas beldroegas!

Cheio de curiosidade, informou-se e lá conseguiu umas sementes. Depositou-as com cuidado na Pedra Moura, tapou-as com boa terra e delas cuidou até que nasceram, floresceram e deram sementes as plantinhas.

E reapareceu a moura encantada. E o rapaz curioso casou com ela!

Beldroegas: Portulaca oleracea

Plantas muito comuns em Portugal, espontâneas durante o Verão. O seu ciclo de vida completa-se em poucas semanas. Têm propriedades culinárias e medicinais.
Consideradas daninhas no norte do país, são muito apreciadas no Alentejo e vendem-se no Mercado de Évora por bom preço…


Ilustradora Marta Figueiroa
Marta Figueiroa |Catrela

Nasceu no Porto em 1978. Licenciada em arquitectura pela FAUP. Fez pequenas formações em áreas artísticas como: construção de marionetas, desenho e aguarela, cinema de animação, moldes de gesso e silicone, marcenaria e serigrafia têxtil. Trabalhou em gabinetes de arquitectura, participou em decoração de eventos, feiras de artesanato, espectáculos de marionetas, foi assistente de fotografia, construiu marionetas para espectáculos, pintou pequenos murais e fez exposições de desenho e de origami. É membro fundador do clube de origami do Porto e dá formação em origami e outras artes plásticas.
O desenho é uma das suas paixões.