Costa Azul, Lendas, Região de Lisboa, Setúbal

A lenda da Pedra Furada e a Invasão Castelhana – Setúbal

Século XVI em Portugal. Tinha desaparecido em Alcácer Quibir D. Sebastião e era rei o Cardeal D. Henrique, sem descendência directa. Eram tempos de decisões difíceis.

Aspiravam ao trono, entre outros, D. António, Prior do Crato e Filipe II de Castela. Este último, sem mais demoras, manda avançar as tropas para invadir Portugal que dizia seu.

A Junta Governativa que decidiria a sucessão tinha-se mudado de Lisboa para a cidade de Setúbal, a Notável, local de grande importância estratégica e que sempre tinha sido leal e patriota sendo portanto pelo português D. António.

As notícias corriam, com a lentidão desses tempos.

Alerta! Aproxima-se da cidade do Sado o exército castelhano!

A população divide-se em opiniões. Falava-se que a Junta pensa em abandonar a urbe, deixando o povo desprotegido.

Abandono? Isso não!

E logo uma comissão de setubalenses se dirige aos governantes para tentar esclarecer os boatos.

– Partis? E nós, aqui? Abandonais a nossa bela cidade a esses estrangeiros?

A resposta da Junta foi pronta e curta:

– Boa gente de Setúbal, podeis voltar descansados a vossas casas. Prometemos que nunca vos abandonaremos. Se vos deixássemos, até se abririam mais buracos na Pedra Furada!!!!!

Ora esta Pedra Furada é um antiquíssimo monumento natural, com cerca de 18 metros de altura, que existe ali para os lados da Estrada da Graça. A sua estrutura é rara, mesmo a nível mundial. Até alguém disse que era constituída por “vegetais que foram envolvidos nas dissoluções ferruginosas à roda deles”!!!!!! Os sábios, menos fantasiosos, afirmaram ser “um exemplar curioso de concreções ferruginosas em rochas arenáceas” “devidas a nascentes repuxantes carregadas de sais de ferro”…O povo diz só que se trata de uma rocha cheia de buracos.

O povo de Setúbal acreditou na promessa da Junta. E o Prior do Crato entra na cidade a 28 de Junho de 1580, sendo aclamado Rei pelo povo. Os governantes, faltando ao juramento, fogem para o Algarve, a bordo de uma galé. E, passando para Ayamonte, aí aclamam perfidamente Filipe II como rei de Portugal, com o nome de Filipe I.

O Duque de Alba, comandante dos castelhanos, entra em Setúbal a 22 de Julho com o seu exército, conquistando-a com requintes de crueldade…

A Pedra Furada lá continua ainda hoje, altaneira para quem a quiser ver, parecendo uma esponja esburacada…segundo alguns, pela traição dos vis governantes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *