Alentejo, Alto Alentejo, Elvas, Guia

Guia do concelho de Elvas

Ganhou o epíteto de Rainha da Fronteira e é também conhecida como Cidade Quartel. Elvas afirmou-se ao longo da história como baluarte militar e local fundamental para a defesa de Lisboa. Agora, os exércitos castelhanos ou franceses foram substituídos por gente de todas as nacionalidades, que chega atraída pelo património e pela cultura da cidade raiana.




Nos últimos anos, Elvas apostou definitivamente na preservação do seu património único que está inscrito como Património Mundial pela UNESCO e recuperou a sua jóia da coroa: o forte da Graça. A cidade quartel é hoje ponto de visita obrigatório para quem ande pela raia alentejana.

É que ao património único junta-se uma oferta cultural de grande qualidade, as tradições e propostas gastronómicas de fazer crescer água na boca e de grande diversidade, com alguns elementos únicos. É o caso das ameixas de Elvas, das dobradiças e do bacalhau dourado. Mas neste concelho é ainda possível apreciar a tradicional gastronomia alentejana e até aquele que será o melhor marisco que se serve no interior do país.

Já tenho a sua atenção? É fácil.  Elvas é mesmo um destino que não se pode perder e que deve fazer parte de todas as agendas de quem pretenda fazer turismo interno. Do icónico Aqueduto das Amoreiras às chaminés típicas da aldeia de São Vicente, passando pela barragem do Caia, há muito que ver e fazer no concelho. Este guia resulta de uma viagem de cinco dias pelo território de Elvas. Conhecemos a sua história, os seus monumentos e gastronomia. Conversámos com muita gente e ficámos a saber mais sobre as suas tradições.

Sendo uma das principais fronteiras portuguesas, é fácil chegar-se a Elvas. Pode-se optar pela auto-estrada A6 ou pela estrada nacional 4, independentemente de se vir de sul ou de norte.

A cidade é servida pela Rede Expressos, podendo os horários ser consultados aqui e brevemente voltará a ter ligação ferroviária. Já na cidade, pode querer deslocar-se de táxi. O telefone da praça de táxis de Elvas é o 268622287.

Em Elvas, passeie-se pela cidade e o melhor é fazê-lo com um mapa na mão para nos apercebermos da história intimamente ligada à ocupação militar e da forma como o ser a primeira linha de defesa deixou marcas definitivas na sua arquitetura.

No castelo de origens árabes existe uma simpática esplanada onde podemos tomar o café da manhã e preparar a visita. Ainda na primeira muralha, percamos os ponteiros do relógio à conversa com Luís Pedras, mestre oleiro que reavivou a tradição das Roncas de Elvas .

Aqui se fazem as roncas de Elvas
Luís Pedras, na sua olaria

Feitas de barro, pele de borrego e uma cana, as roncas são membranofones de fricção que lançam um som muito caraterístico que é tão mais grave quanto elas forem maiores, e que podem ser ouvidos pelas ruas da cidade na época natalícia.

Ainda na cidade, conheça-se o interessante Museu Municipal da Fotografia, onde é exposta a vasta coleção de máquinas fotográficas de João Carpinteiro.

Museu alberga a coleção de António Cachola
Museu de Arte Contemporânea de Elvas

Verdadeiramente indispensável é o Museu de Arte Contemporânea de Elvas, que alberga a coleção particular de António Cachola, um dos mais importantes colecionadores portugueses que apostou desde os anos de 1980 em jovens autores.

O museu alberga exposições temporárias com obras provenientes do espólio do colecionador elvense. Pintura, escultura, desenho, gravura, instalação, vídeo e fotografia  podem ser vistos no antigo edifício onde funcionou o Hospital da Misericórdia e cujo interior foi remodelado para acolher o MACE.

E já que estamos a falar de museus, propomos uma visita ao Museu Militar de Elvas, na muralha abaluartada. O museu tem coleções de viaturas, hipomóveis e dos serviços de saúde e de comunicações do Exército Português. Como extra, tem o acesso às muralhas e a perceção de todo o sistema defensivo.

Os fortes de Elvas

Elvas manteve-se inexpugnável ao longo da sua vasta história militar. Para isso, muito contribuiu o sistema defensivo que começou a ser traçado no século XVII. Além das muralhas que cercam completamente a cidade, temos ainda os fortes de Santa Luzia, a sul, e da Graça, a norte.

No forte de Santa Luzia, encontramos os túneis que dão acesso ao paiol e ficamos a saber dos outros que ligavam à cidade. Esta é uma peça essencial no sistema de defesa holandês que tornou famosa a rainha da fronteira. É em Elvas que encontramos o melhor exemplo da arquitetura militar holandesa do mundo e também aquela que é a maior fortaleza abaluartada terrestre de todo o planeta.

O Forte da Graça é de visita obrigatória
Os alojamentos dos oficiais

O Forte da Graça é um caso à parte. Recentemente alvo de obras de reabilitação é hoje totalmente visitável. Esta fortificação foi construída para sr auto-suficiente e incapturável, com várias linhas de defesa interna e verdadeiramente maquiavélicas.

São muitas as propostas que Elvas nos oferece. Antes de mais, um passeio pela própria cidade. Aqui temos de estar atentos às arquitetura militar, mas também à religiosa e até à civil.

O Aqueduto da Amoreira é um marco na paisagem e um dos mais impressionantes do país, a par do mais recente Aqueduto das Águas Livres, em Lisboa.

Um ângulo diferente
O aqueduto da Amoreira

Mandado construir por D. Manuel I, só muito mais tarde levaria água ao centro da cidade. Com os seus arcos que chegam a atingir os 30 metros de altura. Numa das fachadas, está imposto o escudo de Elvas, que mostra um cavaleiro a segurar uma bandeira.

É o pretexto para conhecermos a lenda do Cavaleiro de Elvas. É quase certo que o escudo é anterior à história que se conta do cavaleiro que foi até Badajoz recuperar um estandarte e que, perseguido pelos castelhanos, morreu às portas da cidade fechada, lançando um apropriado “morra o homem, fique a obra”.

Saindo da cidade, conheça-se as belas ruínas da ponte da Ajuda, sobre o rio Guadiana, que ligava Elvas a Olivença. Destruída durante a Guerra da Sucessão espanhola, em 1709, nunca mais foi reparada e a ligação direta entre as duas localidades só voltaria a ser possível em 2000. Este é um bom spot fotográfico para o pôr-do-sol.

E já que saímos de Elvas, convém parar em São Vicente, para apreciarmos o impressionante conjunto de chaminés tradicionais. Podemos fazê-lo perto da hora da refeição, que aqui se encontra O Pompílio, um dos mais afamados restaurantes do concelho.

São diferentes estas chaminés
Chaminés de São Vicente

As chaminés de São Vicente têm um desenho único na arquitetura popular alentejana. Sendo imensas, não são as tradicionais chaminés de escuta por serem encimadas por um paralelepípedo que impede a chaminé de “fumar”.

Os nossos passos levam-nos até Santa Eulália, sem esquecer a bucólica Barbacena. Em Santa Eulália, encontramos o mais afamado alfaiate de samarras e capotes alentejanos. Aos 80 anos, Luís Alpedrinha teima em fazer tudo segundo as regras e trabalho não lhe falta.

Aí chegado pergunte pela padaria de Olga Ameixa e delicie-se com as dobradiças. Estes simples doces feitos de massa de trigo fermentada recheada de açúcar e canela perdem a simplicidade ao chegar ao palato.

Elvas tem um rico património religioso
Sé de Elvas, pormenor

Os “tesouros” das igrejas

A palavra tesouro poderia também vir sem aspas, que as igrejas de Elvas dão conta de uma cidade abastada que já foi das principais do reino. Mas queremos chamar a atenção particularmente para alguns pormenores do interior de alguns dos templos religiosos que encontramos na cidade quartel.

Na antiga Sé de Elvas, que encima a principal praça da cidade, temos de olhar com atenção para o altar barroco, onde o mármore de várias cores substitui a mais tradicional talha dourada sem tirar magnificência a uma igreja que do manuelino original já pouco conserva.

Ainda na nave, olhemos para a primeira capela à esquerda de quem entra e onde está uma imagem de Nossa Senhora da Guadalupe. A imagem foi encomendada e trazida para Elvas por um emigrante que fez fortuna no México e os elvenses eram-lhe muito devotos, buscando a sua proteção em tempos de seca. Em obras de restauro recentes, veio a concluir-se ser este um trabalho de Juan Correa, um dos mais importantes pintores do barroco mexicano.

A Senhora de Guadalupe é um dos 7 objetos com história que destacámos. Outro, encontra-se na muito próxima Igreja das Dominicas.

Trata-se do único túmulo conhecido em Portugal com motivos chineses. Uma vez mais, é testemunho da epopeia dos descobrimentos e apresenta dois dragões a ladear um vaso chinês. Ainda hoje, uma ida à China pode ser uma grande aventura. Imagine-se o que representaria no século XVI ir à China e regressar…

São tantas e variadas as propostas em Elvas que optámos por colocar neste guia apenas os restaurantes que conhecemos, onde provámos e aprovámos as iguarias que nos foram servidas.

Elvas

Restaurante El Cristo – O El Cristo tem fama de servir o melhor marisco do interior do país e por lá passam 100.000 pessoas anualmente. Vá cedo, ou prepare-se para ter filas ao almoço e ao jantar, principalmente aos fins-de-semana. Não provámos o marisco, mas atirámo-nos por duas vezes ao peixe grelhado e parecia que estávamos num bom restaurante numa comunidade piscatória. O segredo foi-nos revelado e é simples: o peixe chega todos os dias da lota de Setúbal.

Adega Regional – O nome diz tudo. Estamos num restaurante que serve comida tradicional. Situado no coração de Elvas, o Adega Regional viu a sua sala renovada recentemente.

Acontece – No Acontece prepare-se para uma experiência diferente. Este bar e restaurante (com os dois ambientes perfeitamente separados) tem uma fondue mista (marisco, carne e frutas) muito boa e um delicioso bife na pedra. Excelente atendimento.

Hotel Santa Luziaresposta de uma cozinheira a uma aflição – Naquela que foi a primeira Pousada de Portugal, o Hotel Santa Luzia é também o local onde nasceu o prato icónico de Elvas: o Bacalhau Dourado. Fruto da , este prato faz as delícias de quem vai até ao primeiro edifício construído fora das muralhas na cidade.

Pedras do Castelo – O Pedras do Castelo é um projeto novo e que aposta na fusão entre a cozinha alentejana e oriental. Este restaurante era apenas ainda um sonho do oleiro Luís Pedras quando estivemos em Elvas e é fruto da sua parceria (também na vida) com uma cidadã chinesa.

No concelho

O Pompílio – Na Aldeia de São Vicente encontramos um dos mais afamados templos da gastronomia tradicional alentejana. O Pompílio serve petiscos de chorar por mais e avança para as migas com carne de alguidar e outros que tais.

Taberna do Adro – Numa pequena casa no adro da igreja de Vila Fernando, a 14 quilómetros da sede de concelho, encontramos um gigante na arte de bem confecionar a comida tradicional daquelas bandas. Num espaço pequeno e profusamente decorado com olaria tradicional, a comida é onde todas as nossas atenções se focam. Atendimento muito atencioso.

Hotel São João de Deus ****
Largo S. João de Deus, 1 7350 Elvas
Tel: 268 639 220
Mail : info@hotelsaojoaodeus.com

Hotel D. Luis ***
Av. De Badajoz 7350 Elvas
Tel: 268 636710
Hoteldluis-elvas@elpohoteis.com

Hotel Pousada Santa Luzia****
Av. De Badajoz 7350 Elvas
Tel: 268 637 470
Mail: reservas@slhotel.elvas.pt

Hotel Brasa***
Av Dia de Portugal 7350-229 Elvas
TeL: geral@hotelbrasa.pt

Hotel Jardim****
Av Dia de Portugal 7350 Elvas
Tel: 268 621 050 / 268 621 452
Mail: jardimtur@sapo.pt

Residencial Mocisso
Rua João de Olivença, 23 7350-234 Elvas
Tel: 268 622 126 / 967 847 929
Mail: residencial.mocisso@hotmail.com

Residencial Garcia da Orta
Av. Garcia da Orta, 3º 7350-048 Elvas
Tel: 268 623 152 / 966 614 875
Mail: reservas@garciadeorta.com

Residencial Tif-Taf
Av. De Badajoz 7350 Elvas
Tel: 268 628 056
Mail: humbertodores2011@hotmail.com

Hotel Brasa***
Av Dia de Portugal 7350-229 Elvas
TeL: geral@hotelbrasa.pt

Hotel Jardim****
Av Dia de Portugal 7350 Elvas
Tel: 268 621 050 / 268 621 452
Mail: jardimtur@sapo.pt

Elxadai – Hotel Rural e Apartamentos Turísticos
Estrada Nacional 4 Varche 7350-422 Elvas
Tel: 268 621 397
Mail: info@elxadai.com

Varchotel ***
Estrada Nacional 4 Varche 7350-473 Elvas
Tel: 268 621 621 / 963 902 961
Mail: varchotel.reservas@hotmail.com

Residencial Luso-Espanhola
Rui de Melo, 15 7350-409 Elvas
Tel: 963 424 023 / 268 084 575
Mail: contacto@residenciallusoespanhola.com

Quinta de Sto. António**** – Hotel Rural
Estrada de Barbacena, Apartado 206 7350-903 Elvas
Tel: 268 636 460 / 910 333 542
Mail: geral@qsahotel.com

Hostel B
Avenida do Colégio Luso Britânico, 6 7350-000 Elvas
Tel: 933 498 227
Mail: hostelb.elvas@gmail.com

Monte do Vale – Turismo Rural
Herdade do Vale 7350-409 Terrugem
Tel: 964 243 749
Mail: jpcmontevale@hotmail.com

Casa da Ermida de Sta. Catarina – Casa de Campo
Herdade da Rocha Santa Eulália 7350 Elvas
Tel: 917 214 380
Mail: info@casadaermidadesantacatarina.com

Casa do Poeta – Casa de Campo
Casa 1 – Rua Cantos do Açougue, 6 Santa Eulália
Casa 2 – Rua Dr Ruy d´Andrade, 10 Santa Eulália
Tel: 917 261 650
Mail: casasdopoeta@gmail.com

Monte Serra do Bispo – Agro Turismo
Apartado 103 7350 Elvas
Tel: 268 656 164 / 966 522 905
Mail: serradobispo@hotmail.com

Monte Velho – Turismo Rural
Herdade Font’Alva Barbacena 7350 Elvas
Tel: 966 637 038
Mail: joseluisdandrade@hotmail.com

Monte da Provença – Hotel Rural
Monte da Provença São Vicente e Ventosa 7350 Elvas
Tel: 912 799 202
Mail: geral@montedaprovenca.com

Camping “Os Anjos” – Turismo Rural
Estrada da Senhora da Saúde – Apartado 90,e
Tel: 268688138 / 965 236 625 Mail: info@campingosanjos.com

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *